sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Entrevista do André para o blog da UMP - Curiosidades e Recados Imperdíveis!

Como todos – ou quase todos - sabem, o André, que foi presidente da UMP em 2008, recebeu um convite para trabalhar em Angola e está lá desde agosto do ano passado.

Ele gentilmente respondeu a todas estas perguntas para este blog, onde ele conta um pouco sobre a sua experiência na mocidade, fala sobre o que ele aprendeu conosco e o que levou disso para um país tão diferente, onde ele vive agora.

Ele fala sobre o que representou para ele liderar a nossa mocidade: “Eu recuperei a alegria de ser jovem. Só Deus sabia o quanto eu precisava disso”, conta detalhes curiosos sobre as saias-justas vividas por conta da diferença cultural: “A única dificuldade é que falavam em dialetos e não entendi nada... rs” e ainda deixa algumas reflexões edificantes para todos nós: “Deus está investindo em vocês e mesmo em um lugar difícil, ou fácil de se viver, o grande deserto da nossa vida está no coração”.

Ficou curioso para saber o restante? Não deixe de ler a entrevista abaixo. Vale cada letra!

Desde criança você sempre freqüentou uma mesma igreja, no Rudge Ramos. Como foi começar a congregar na igreja de São Caetano? Você sentiu muita diferença?
Minha infância, adolescência e parte da juventude foi lá no Rudge, mas nos últimos anos estava visitando outras Igrejas e acabei visitando a Igreja de SCS algumas vezes.
Eu queria conhecer uma igreja diferente, apesar de gostar muito do Rudge e ter amigos de longa data. Tinha convicção de que o dia de sair tinha chegado e era hora de aprender coisas novas. Acabei indo para São Caetano com este pensamento.
Senti muita diferença na Igreja de SCS, eu não conhecia as pessoas estava acostumado com Igreja pequena, onde você conhece todo mundo, conversa com todo mundo e vi que a realidade de uma Igreja maior é outra. Tive que me adaptar.

O que mais chamou sua atenção na UMP de S. Caetano logo que você chegou? Qual foi sua primeira impressão? Isso mudou com o tempo?
O que mais chamou a atenção era a capacidade das pessoas se unirem pra fazer coisas tão legais. Vi musicais, cantatas, fui no acampamento... também notei que, ao mesmo tempo, existiam grupos sem comunhão entre si.
Esta visão mudou parcialmente, vi que apesar de não ter a comunhão total com o grupo, muitos queriam se aproximar da sua maneira. Percebi que era necessário entender as diferenças e trabalhar isso. Eu mesmo não tinha comunhão com todos, não porque não queria, mas por algum motivo, talvez oportunidade ou até disponibilidade. Ficou claro para mim que este é um desafio de Igrejas maiores...

Como foi sua decisão para aceitar ser presidente da mocidade em 2008? Isso estava nos seus planos ou foi uma surpresa para você?
Não estava nos meus planos cargos da UMP, na verdade eu pensava em sair, sentia uma identificação muito boa com os adultos da Igreja e queria apoiar o Pr. Márcio no Jardim Patente, no entanto, participei da eleição convicto que a liderança teria sangue novo para a mocidade. O nome da Monique não tinha saído da minha cabeça na última semana...rs , graças a Deus ela acabou sendo na prática a presidente de 2008.
Dias antes ouvi uma mesma palavra de várias pessoas diferentes, isso quando estava comentando em sair da mocidade e a palavra era, “Você só pode ser útil a Deus se ficar a disposição dEle”, então fiz prova de Deus e falei que não negaria a nenhum convite para trabalhar para Ele...e apesar de duvidar muito que era o melhor para a mocidade aceitei pela fé. Sinceramente, achei que era muito mais a pedra clamando do que o servo a disposição.

Como foi sua experiência como presidente? Você acha que valeu a pena? Pq?
A experiência foi um divisor de águas, pois eu estava à disposição de uma UMP muita grande e cheia de tradição, sendo que eu mesmo não conhecia os próprios jovens e sua história. Foi desafiador, mas a cada programação, a cada conversa, a cada reunião de planejamento, e-mail trocado(e não foram poucos..rs), percebi que, por mais que fazíamos, a obra é toda de Deus. Fiquei seis meses na diretoria devido à viagem em agosto, mas o tempo que fiquei vi que a nossa função não é fazer o trabalho e sim deixar Deus fazer a obra a gente só tem que evitar atrapalhar...rs
Valeu muito a pena, seria um erro sair da UMP, pois aprendi tanto com a galera, vivi bons momentos que até impulsionaram minha vida de forma geral. Eu recuperei a alegria de ser jovem. Só Deus sabia o quanto eu precisava disso e acho que vou seguir o caminho do Tião na UMP!!!...rs

E a notícia sobre a ida para Angola? Como foi recebida?
Sobre a Angola, foi uma surpresa, achei que seria um mês, mas foi se prolongando... até que estamos em Janeiro de 2009 e estou aqui...rs
Quando tive que me decidir em aceitar ou não o convite, pensei na UMP, mas conclui que tínhamos feito um trabalho no 1º semestre onde não havia um único líder, mas todos tinham voz ativa e eu sabia que tudo ia continuar, até porque já tínhamos planejado o 2º semestre inteiro.
Recebi a notícia bem, era uma oportunidade internacional e isso seria importante para meu desenvolvimento tanto pessoal quanto profissional, fiquei muito contente.

O local é muito diferente? O que você está achando de passar este tempo aí?
Aqui é bem diferente do Brasil, Angola está em reconstrução e está passando por um momento histórico. Fiquei muito feliz de vir para cá neste momento, pois acompanhei as primeiras eleições com voto direto e estou vendo uma Angola em paz, isso é muito bom. Luanda é uma cidade populosa, pois grande parte dos negócios em Angola acontecem aqui, o que também gera os agravantes de cidade grande, com trânsito e tudo mais. Eu já estava acostumado com o trânsito de São Paulo...sinceramente hoje....acho o trânsito de Sampa tranqüilo...rs
Tem muita coisa boa aqui, gosto da parte litorânea, praias bonitas, tem vistas muito legais, e outras que tenho fé que vão melhorar... a culinária é parecida com a baiana, mas aqui na Angola comemos alguns peixes e frutos do mar que não tem na América do Sul, até agora gostei de todos!!Quando virem para cá sugiro que comam o “Choco”(uma espécie de lula)...rs
Fora isso, estou bem acomodado e fazendo amigos. A cada dia aprendo algo novo, convivo com várias pessoas da minha idade e a experiência na UMP fez muita diferença.

Ter a oportunidade de comparar a situação da igreja e do estilo de vida aqui do Brasil com os de Angola, mudou algo na sua maneira de enxergar as coisas? O que você tem a dizer pra os nossos jovens que vivem aqui a respeito disto?
Em primeiro lugar comecei a valorizar mais o Brasil, não por compará-lo a algum outro país, mas sim pelas facilidades que temos, pela natureza, diversidade de alimentos, infra-estrutura, serviços, e por ser um país querido pelo mundo e com profissionais muito bons. A Igreja eu não localizei ainda, mas fui em uma Metodista e lá todo mundo canta muito bem, tinha coral de mulheres, homens, jovens, adolescentes, crianças, todos com muita qualidade. A única dificuldade é que falavam em dialetos e não entendi nada... rs, eles me convidaram para orar e no final ficaram sorrindo.... até agora me pergunto, o que eu fiz?... rs
Comparar?? difícil dizer, porque no Brasil temos uma desigualdade imensa e aqui também, a verdade é que com a globalização pessoas são parecidas e diferentes em qualquer lugar do mundo. Quanto aos costumes, acho que aqui eles dão muito valor para o país deles e são orgulhosos de serem angolanos, apesar de guerras e tudo mais, acho que isso foi uma lição para mim, pois o Brasil tem muitas facilidades em relação a Angola e a gente vive reclamando... rs, algo que falaria para a galera é que estão em belo lugar. Aproveitem a estadia!... rs

Há mais alguma coisa que você gostaria de dizer à UMP de São Caetano?
Estou em um grande desafio aqui, começamos um grupo de oração formado por 50% de não evangélicos, começamos com sete pessoas (cinco evangélicos), ontem (28/01) estávamos com 12 pessoas (seis evangélicos).
Um dos temas de nossos estudos aqui é que para você falar com Deus e ouvir sua voz não precisa ser um santinho, perfeitinho, lindinho da mamãe e do papai que são cristãos, com cinco gerações de antepassados na Igreja, nascido em berço cristão, nunca ter consumido qualquer tipo de droga ou ser o símbolo da pureza humana... para falar com Ele basta você orar com seu coração. Se você realmente quiser saber o que Ele tem para você, converse com Ele, pois Deus falará com você onde você estiver, em qualquer continente!! Outro recado que eu tenho para o pessoal aí é participem da UMP, pois Jesus fala que onde estiverem dois ou três reunidos no nome dEle, Ele estaria presente(Mt18:18-20), então galera, não desperdicem a oportunidade de ficar próximos de Jesus! E lembrem-se que Deus está investindo em vocês e mesmo em um lugar difícil, ou fácil de se viver, o grande deserto da nossa vida está no coração se a semente da palavra de Deus não brotar em nossa vida. Leiam MT:13;18-23

O pessoal da cantata “CREIA” está famoso na Angola, mostrei para várias pessoas, vocês são sucesso internacional!!!!!... rs

Vocês foram e são muito importantes para minha vida! Bjos e abraços para todos! Amo vocês em Cristo!

Fiquem na paz de Jesus e força galera!

Um comentário:

Lygia disse...

É isso aí André,

Que Deus acrescentando cada dia mais na sua vida, paz, consolo (a gente sabe que a saudade da Esterzinha aperta...rs)e muitas e muitas bençãos.

Que vc possa estar conosco logo. Queremos ouvir mais palavras de sabedoria e ânimo...rs.

Grande abraço.